quarta-feira, 28 de setembro de 2005

A Ética em Aristóteles

Questão sobre Aristóteles Sandra Fasolo Sobre a possibilidade de percebermos uma ligação entre a Ética e a Ontologia de Aristóteles _onde estaria a fundamentação para se poder afirmar que a ontologia aristotélica não está vinculada à ética aristotélica?_ Se Aristóteles pressupõe um Primeiro Motor, de onde todas as coisas partem e para onde tudo retorna, o pensamento que se pensa a si mesmo, se há uma ponte entre os gêneros do ser ou categorias que ligam o ser ao ente e à realidade, se a substância como primeira categoria do ser, sem a qual nenhuma das outras (acidentes) poderia existir tem sua origem no Primeiro Motor, pode-se desvincular a ‘forma’ do ser pensar_ pensar para agir_ de uma determinação realística? A ética, sendo uma forma do agir humano, não está separada do pensamento, o pensamento, por sua vez, dentro de uma teoria realista possui elementos oriundos desse mesmo mundo transcendente, existiria assim uma ligação da ética com o realismo através da ‘coisa em si’ que constitui a substância ou forma ou eidos do ser? Dito de outra maneira, no Livro VI da Ética Aristóteles procura definir a qual das ciências a Ética pertenceria. Parte da idéia de que todas as coisas tendem a um fim e que este fim é a felicidade, porém diferente para cada homem, tendo em vista que possuem para si diferentes fins no que se refere ao que desejam e que viria a ser_ felicidade. Discorre sobre as virtudes da alma e do intelecto, afirmando que na alma existem três coisas: sensação_ que não produz nenhuma ação prática_ desejos e a razão. Esta deve regular os desejos da alma, o homem deveria encontrar o meio-termo para seus atos através da reta razão conciliando a sabedoria prática_ que trata dos particulares_ e a sabedoria filosófica_ fim mais elevado alcançado pelo intelecto. Enquanto a sabedoria prática trata de particulares e tende a ação para o bem comum dos homens da polis, a sabedoria filosófica constitui os Primeiros Princípios, os quais se ligam à Ontologia, portanto aos universais e não somente aos particulares onde as categorias predicariam o ser dentro da realidade empírica. A Ética deveria ser, em síntese, um agir bem por meio da reta razão para a felicidade dos homens. Para agir bem necessita desenvolver o intelecto, a racionalidade que o distingue dos outros seres_ pois segundo o que está dito na Metafísica de Aristóteles ‘todos os homens por natureza desejam o conhecimento.’ Pressupõe assim o uso da razão que mesmo vindo a pensar com vistas a um agir concreto e particular de uma organização social e política precisa pensar sua própria racionalidade para então chegar a agir conforme a reta razão. O uso da razão pressupõe o conhecer, dado principalmente pelos Primeiros Princípios_ que seriam as 4 causas_ onde a causa final diz o porque de algo_ seu fim. Se a ontologia de Aristóteles é teleológica_ todas as coisas tendem a um fim_ e remete ao Motor Imóvel e aos Primeiros Princípios se pode dizer que os fins desejados pelas virtudes da alma e do intelecto seriam práticos na medida em que se direcionassem a coisas particulares e de sabedoria filosófica na medida em que a direção fosse elevar a razão, mas para isso é necessário que se chegue aos Primeiros Princípios. Estes não são ontológicos em termos realistas? Se assim é, a Ética tem ligação com a Ontologia aristotélica. 2001

0 Comentários:

Postar um comentário

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial